Cloridrato de Ciprofloxacino – Pra que serve? Como tomar?

O Cloridrato de Ciprofloxacino se trata de uma medicação de uso oral, indicada para adultos. Tem apresentação em comprimidos revestidos com 250 mg e 500 mg e embalagens com 6 ou 14 cápsulas. É fabricado por diferentes laboratórios.

Para que serve o Cloridrato de Ciprofloxacino (Indicação)

O Cloridrato de Ciprofloxacino está indicado para diversos problemas infecciosos, como:

  • Processos Infecciosos complicados ou não, que são causados por agentes sensíveis ao Ciprofloxacino.
  • Problemas no Trato respiratório. O medicamento é recomendado para o tratamento de doenças como pneumonias causadas por Enterobacter, Klebsiella, E. coli, Pseudomonas, Proteus, Legionella,  Haemophillus, Branhamella e Staphylococcus. Porém, o Cloridrato de Ciprofloxacino não está indicado como medicação de 1 ª escolha para tratar pacientes ambulatoriais que apresentem pneumonia causada por Pneumococcus.
  • Cloridrato de Ciprofloxacino também é recomendado para tratar problemas no Ouvido Médio, como a otite média. Ainda trata infecções nos seios paranasais, como a sinusite – principalmente se o processo infeccioso for ocasionado por organismos do tipo Gram-negativos, incluindo o Staphylococcus e a Pseudomonas . Vale ressaltar, que o cloridrato de ciprofloxacino não está recomendando para tratar casos de Tonsilite Aguda (angina tonsilaris).
  • Cloridrato de Ciprofloxacino ainda é indicado para tratar infecções nos seguintes locais: rins e trato urinário; olhos; órgãos genitais, incluindo a gonorreia a anexite e a prostatite. Também está indicado para tratar problemas na Cavidade abdominal, como infecções causadas por bactérias no trato biliar, peritonite e gastrointestinal; tecidos moles e peles; sepse ( infecção generalizada); articulações e ossos; casos  de infecções ou de risco de infecção em pessoas com o sistema imunológico enfraquecido, como pacientes usando medicações imunossupressoras ou pacientes usando neutropênicos.
  • Além disso, Cloridrato de Ciprofloxacino está indicado para o tratamento da descontaminação seletiva intestinal. Isso em pacientes que estão em tratamento com medicações imunosssupressoras.

Outras Indicações para o Cloridrato de Ciprofloxacino

  • Estudos in vitro consideraram alguns microrganismos sensíveis ao Cloridrato de Ciprofloxacino, como: Shigella, E. coli, Citrobacter, Salmonella, Enterobacter, Klebsiella, Hafnia, Serratia, Proteus (indol-negativo e indol-positivo), Edwardsiella, Morganella, Providencia, Vibrio, Yersinia, Plesiomonas, Aeromonas, Haemophillus, Pasteurella, Pseudomonas, Campylobacter, Neisseria, Legionella, Acinetobacter, Moraxella, Staphylococcus, Brucella, Corynebacterium Listeria e Chlamydia.
  • Também são sensíveis ao Cloridrato de Ciprofloxacino (em grau que varia) os seguintes microrganismos: Gardnerella,  Alcaligenes, Flavobacterium, Enterococcus faecalis, Streptococcus agalactiae, Streptococcus pneumoniae, Streptococcus pyogenes, Mycoplasma hominis, Streptococcus viridans, Mycobacterium fortuitum e Mycobacterium tuberculosis.
  • Já alguns microrganismos mostraram ser resistentes ao Cloridrato de Ciprofloxacino. São eles: Ureaplasma urealyticum, Enterococcus faecium e Nocardia asteroides.
  • Também, em casos de raras exceções, microrganismos anaeróbios demonstraram sensibilidade de moderada (como  Peptostreptococcus e Peptococcus) a resistente (como Bacteroides) ao Cloridrato de Ciprofloxacino.
  • Cloridrato de Ciprofloxacino se demonstrou ineficaz no tratamento contra o microrganismo Treponema pallidum.

Uso do Cloridrato de Ciprofloxacino em Crianças: fica a critério do médico pediatra a administração do medicamento (assim como a sua dosagem) em pacientes entre 5 a 17 anos de idade. O Cloridrato de Ciprofloxacino se demonstrou eficaz, nesses pacientes, no tratamento da fibrose aguda pulmonar cística acentuada.

Como tomar o Cloridrato de Ciprofloxacino (Posologia)

A posologia indicada do Cloridrato de Ciprofloxacino para adultos é:

Cloridrato de Ciprofloxacino Posologia
Cloridrato de Ciprofloxacino Posologia (Imagem Reprodução)
  • Infecções do trato urinário: aguda e não complicada: de 1 a 2 doses diárias de 250 mg. Cistite em mulheres (antes da fase da Menopausa): dose diária única de 250 mg. Cistite complicada: 2 doses diárias de 250 mg ou 1 de  500 mg.
  • Infecções do trato respiratório: 2 doses diárias de 250 mg ou 1 de 500 mg.
  • Diarreia: de 1 a 2 doses diárias de 500 mg.
  • Outras infecções (graves): 2 doses diárias de 500 mg.
  • Gonorreia extragenital: dose única diária de 250 mg.
  • Gonorreia aguda e não complicada: dose única diária de 250 mg.
  • Casos de Pneumonia estreptocócica (infecção com presença de fibrose cística, óssea,  articulares, peritonite e septicemia): 2 doses diárias de 750 mg.
  •  Insuficiência renal: dose máxima diária de 1.000 mg.
  •  Insuficiência renal com hemodiálise: após a diálise, dose máxima diária de 1.000 mg.
  • Insuficiência renal + CAPD: 1 dose diária de 500 mg ou 2 doses diárias de 250 mg.
  • Insuficiência hepática: 1 dose diária de 500 mg ou 2 doses diárias de 250 mg.

Como funciona o Cloridrato de Ciprofloxacino

O Cloridrato de Ciprofloxacino se trata de um medicamento antibiótico de espectro amplo. Quando corretamente empregado, sintomas e sinais das doenças relacionadas no tópico anterior demonstram melhoras rápidas. Os efeitos costumam aparecer com apenas 3 dias de tratamento com a medicação.

O medicamento é um antibiótico do tipo sistêmico, que pertence ao grupo dos quinolônicos. Tem uma forma de atuação que deriva do bloqueio das funções da DNA-girase – o que resulta em um potente e alto efeito bactericida contra microrganismos sensíveis. É também extremamente efetivo no tratamento contra agentes patógenos do tipo Gram-negativos – incluindo  Pseudomonas aeruginosa e contra agentes patógenos do tipo Gram- positivos; como o Streptococcus e o Staphylococcus.

Geralmente, os agentes anaeróbios são menos suscetíveis ao medicamento. O efeito bactericida do Cloridrato de Ciprofloxacino acontece nas fases vegetativas e proliferativas. O Cloridrato de Ciprofloxacino ainda tem a capacidade de inibir a DNA-girase. Com isso bloqueia o  metabolismo bacteriano.

Como funciona o Cloridrato de Ciprofloxacino – Parte 2

A resistência ao Cloridrato de Ciprofloxacino não é intercedida por plasmídeos e prolifera-se e desenvolve-se de forma lenta e por meio de diversos estágios. O Cloridrato de Ciprofloxacino não exerce resistência paralela a outros medicamentos  antibióticos, não relacionados ao grupo dos quinolônicos. Dessa forma, o Cloridrato de Ciprofloxacino pode se tornar muito eficaz contra bactérias que têm resistência a outros tipos de antibióticos. Entre elas: aminoglicosídeos, ß-lactâmicos, cefalosporinas, penicilinas, macrolídeos, tetraciclinas, trimetoprima, sulfonamidas ou originários do nitrofurano.

O Cloridrato de Ciprofloxacino também tem se mostrado eficaz no tratamento contra patógenos que já demonstraram anteriormente resistência a inibidores da girase menos ativos..

Devido à sua estrutura química, o Cloridrato de Ciprofloxacino ainda é eficaz no tratamento contra bactérias produtoras de ß-lactamase. Cloridrato de Ciprofloxacino também pode ser empregado em associação com outros tipos de antibióticos.

Pesquisas com patógenos sensíveis, que empregaram o Cloridrato de Ciprofloxacino de forma associada com antibióticos aminoglicosídeos e ß-lactâmicos, revelaram efeitos aditivos ou não causaram interações. Efeitos sinérgicos observados foram considerados raros.

Dentre as combinações possíveis de Cloridrato de Ciprofloxacino com outros antibióticos estão:

  • Streptococcus: azlocilina, mezlocilina e ß-lactâmicos
  • Pseudomonas: ceftazidima e azlocilina
  • Staphylococcus: vancomicina e antibióticos ß-lactâmicos
  • Anaeróbios: clindamicina e metronidazol.

Contraindicação

Cloridrato de ciprofloxacino está contraindicado em alguns casos. São eles:

  • Pessoas alérgicas a qualquer um dos componentes da fórmula da medicação.
  • Crianças e adolescentes em fase de crescimento.
  • A medicação está contraindicada para pacientes com hipersensibilidade a derivados quinolônicos. Isso com exceção de casos onde exista a exacerbação de fibrose cística, em associação com a Pseudomonas aeruginosa.

Composição

  • A composição de cada comprimido revestido de 250 mg contém: 291,55 mg de cloridrato monoidratado de ciprofloxacino – que equivale a 250 mg de ciprofloxacino.

Excipientes: celulose microcristalina, croscarmelose sódica, estearato de magnésio, povidona, hipromelose, dióxido de silício,  talco, dióxido de titânio, macrogol e propilenoglicol.

  • A composição de cada comprimido revestido de 500 mg contém: 583,10 mg de cloridrato monoidratado de ciprofloxacino – que equivale a 500 mg de ciprofloxacino.

Excipientes: celulose microcristalina, croscarmelose sódica, estearato de magnésio, povidona, hipromelose, dióxido de silício,  talco, dióxido de titânio, macrogol e propilenoglicol.

Efeitos colaterais do Cloridrato de Ciprofloxacino

Os principais efeitos colaterais para o uso do Cloridrato de Ciprofloxacino ocorrem nas seguintes situações:

Cloridrato de Ciprofloxacino Efeitos Colaterais
Cloridrato de Ciprofloxacino Efeitos Colaterais
  • Ocorrência entre 1% e < 10%: diarreia, náuseas, erupções cutâneas.
  • Ocorrência entre 0,1% e < 1%: astenia, monilíase (infecção fúngica) dores abdominais, tromboflebite, vômitos, alterações em exames de funções hepáticas, aumento da TGO e/ou TGP. Também: dispepsia, formação de gases, aumento da fosfatase alcalina, bilirrubinemia, anorexia, leucopenia, eosinofilia, aumento da ureia, aumento da creatinina, artralgia,  cefaleia, insônia, tonturas, agitação, confusão mental, pruridos dermatológicos, erupção na pele, alteração do paladar, urticária.
  • Ocorrência entre 0,01% e < 0,1%: enxaqueca, taquicardia, vasodilatação, síncope, monilíase oral, icterícia colestática, icterícia comum, colite pseudomembranosa, leucopenia, anemia, alteração dos valores de protrombina, leucocitose, alteração dos valores de protrombina, trombocitose, trombocitopenia, febre, reações alérgicas, reações anafiláticas, hiperglicemia, edema, edema articular, mialgia, sudorese, alucinações, parestesia,  depressão, pesadelos, ansiedade, convulsão, tremores, edema de laringe, dispneia, reação de fotossensibilidade, surdez temporária, zumbido nos ouvidos, diplopia, alterações da visão, alteração do paladar, cromatopsia, insuficiência renal aguda, monilíase vaginal, disfunção da função renal, cristalúria hematúria e nefrite intersticial.
  • Ocorrência em  < 0,01%:  vasculite, hepatite, monilíase (gastrointestinal), anemia hemolítica, erupção cutânea, choque (anafilático, com risco de morte), prurido. alteração da marcha (falta de coordenação), desequilíbrios, convulsão do tipo grande mal, eritema multiforme (menor), eritema nodoso, petéquias.

Outros Efeitos colaterais do Cloridrato de Ciprofloxacino

Também foram relatadas como reações adversas comuns. Os dados foram obtidos com base em relatos espontâneos de pacientes. A ocorrência foi de < 0,01%:

  • Sistema digestivo: colite pseudomembranosa com risco de morte e necrose hepática grave (risco de morte).
  • Sistema nervoso: hipertensão intracraniana e psicose.
  • Sistema linfático e sanguíneo: pancitopenia, petéquias (hemorragias puntiformes na pele) e agranulocitose.
  • Hipersensibilidade: anosmia (usualmente reversível com interrupção do tratamento) e parosmia.
  • Pele e anexos: necrólise epidérmica (síndrome de Lyell) e síndrome de Stevens-Johnson.
  • Sistema músculo-esquelético: ruptura parcial ou completa do tendão (predominantemente do tendão de Aquiles), tendinite (predominantemente do tendão de Aquiles)
  • Exacerbação dos sinais graves de miastenia (doença neuromuscular que causa fraqueza e fadiga).

Superdosagem

A Superdosagem com Cloridrato de Ciprofloxacino revelou toxicidade reversível dos rins. Um serviço médico de emergência deve ser procurado com a ingestão exagerada da medicação.

Além das medidas habituais de suporte emergenciais, indica-se a monitoração das funções renais do paciente. Também é recomendada a administração de agentes com função antiácida, como os à base de cálcio ou magnésio. Isso para reduzir a absorção do ciprofloxacino pelo organismo.

Precauções

A administração do Cloridrato de Ciprofloxacino exige algumas precauções. O uso do ciprofloxacino demonstrou, por exemplo, causar artropatia em articulações. Embora esses dados tenham sido relatados em pacientes com menos de 18 anos de idade. Além disso, a maioria era portador de fibrose cística.

Também recomenda-se cautela para guiar veículos ou operar máquinas por quem está sob tratamento com o Cloridrato de Ciprofloxacino. Isso porque a medicação pode alterar a capacidade de dirigir e de reação. Também não se recomenda ingerir bebidas alcoólicas durante o tratamento com a droga.

Interação do Cloridrato de Ciprofloxacino com outros remédios

O uso do Cloridrato de Ciprofloxacino pode interagir com outras medicações. Entre as principais Interações do Cloridrato de Ciprofloxacino com outros remédios podemos citar:

Cloridrato de ciprofloxacino
Cloridrato de ciprofloxacino
  • O emprego do Cloridrato de Ciprofloxacino com sucralfato, ferro, antiácidos e medicamentos tamponados podem reduzir a absorção do ciprofloxacino pelo organismo. Recomenda-se que o cloridrato de ciprofloxacino seja administrado 1 ou 2 horas antes ou, então, 4 horas depois desses medicamentos.
  • Alguns estudos com animais apontaram que a combinação de Cloridrato de Ciprofloxacino com altas doses de quinolonas (inibidores da girase) e determinados anti-inflamatórios não-esteroides pode ocasionar convulsões.
  • O Cloridrato de Ciprofloxacino, se usado juntamente com a warfarina, pode aumentar o efeito da warfarina.
  • O uso concomitante de Cloridrato de Ciprofloxacino com ciclosporina pode ocasionar uma elevação temporária da creatinina sérica. Assim, é recomendado monitorar as concentrações da creatinina nesses pacientes.
  • A metoclopramida pode acelerar a absorção do Cloridrato de Ciprofloxacino pelo organismo – de modo que a  concentração máxima no plasma seja obtida em um intervalo de menor de tempo.
  • Em casos específicos, o uso concomitante do Cloridrato de Ciprofloxacino com a glibenclamida pode aumentar a ação da  glibenclamida, causando hipoglicemia.
  • O uso da probenecida pode intervir na secreção renal do ciprofloxacino. A administração concomitante da probenecida com o Cloridrato de Ciprofloxacino pode causar elevação da concentração sérica do ciprofloxacino.

Cloridrato de Ciprofloxacino Preço

  • 500 mg: A caixa de Cloridrato de Ciprofloxacino com 6 comprimidos revestidos custa em média R$ 22,91. Já a caixa de Cloridrato de Ciprofloxacino com 14 comprimidos revestidos custa em torno de R$ 30, 99.
  • 250 mg: A caixa de Cloridrato de Ciprofloxacino com 6 comprimidos revestidos custa em torno de R$ 10,99. A caixa de Cloridrato de Ciprofloxacino com 14 comprimidos revestidos tem o preço médio de R$ 15,90.

Os valores informados podem apresentar variações de acordo com o estabelecimento que comercializa os medicamentos.

Para comprar o Cloridrato de Ciprofloxacino são necessárias a apresentação e a retenção da receita médica, por se tratar de um medicamento antibiótico.

Pergunta dos leitores

Cloridrato de Ciprofloxacino é indicado para infecção urinaria?

Sim. Cloridrato de Ciprofloxacino tem como uma de suas indicações o tratamento de infecções do trato urinário.

Cloridrato de Ciprofloxacino corta o efeito do anticoncepcional?

Não. Cloridrato de Ciprofloxacino não interfere nos efeitos contraceptivos dos anticoncepcionais.