Hidralazina – Bula, Para que serve, Efeitos Colaterais, Mecanismo de ação

A Hidralazina é um medicamento que é popularmente conhecido e comercializado como Apresolina ou Nepresol. Sendo um vasodilatador, o remédio possui mais que uma função (que será explicada mais para baixo). Seu principal efeito é dilatar as veias e ele pode ser usado via oral ou injeção.

Hidralazina apresentação e composição

A composição do medicamento em si é apenas o cloridrato de hidralazina de 25 mg ou 50 mg. Mas no caso de comprimidos, seu excipiente contém dióxido de silício, amido, povidona, estearato de magnésio, celulose microcristalina, copovidona, dióxido de titânio, macrogol, sacarose, talco, laca de eritrosina, hipromelose e palmitato de cetila.

Hidralazina injetável

De modo injetável, a hidralazina combate uma hipertensão mais grave ou pré-eclâmpsia ou até mesmo a eclampsia.

Hidralazina comprimido

A hidrolazina via oral é tomada em comprimido ou diluída. Em ambos os casos, ela serve para combater a hipertensão e insuficiência cardíaca congestiva.


Para que serve Hidralazina ( Indicação )

hidralazina

O medicamento hidralazina serve para mais que um motivo. Ele combate a hipertensão arterial, estabilizando a pressão corporal dilatando os vasos sanguíneos. Mas a hidralazina pode ser utilizada para combater a pré-eclâmpsia e a eclampsia.

Outra doença que este medicamento pode combater é a insuficiência cardíaca congestiva. Entretanto só funciona se for medicado em combinação com dinitrato de isossorbida.

Hidralazina mecanismo de ação

Funcionando como um vasodilatador, a hidralazina consegue exerce sua função através de uma ação relaxante direta sobre a musculatura lisa dos vasos de resistência, predominantemente nas arteríolas. Deste jeito, as veias relaxam e conseguem trabalhar de uma maneira mais natural.

Posologia Hidralazina

Hidralazina Diluição

Cada ampola apresenta 20 mg. É necessário diluir o conteúdo de uma ampola em 9mL de solução de cloreto de sódio 0,9% injetável para concentração de 2mg/mL. Para os adultos, a dose recomendada inicialmente é de 1 a 5 mg por via intravenosa. Após isso, é indicado permanecer por um período de 20 minutos em observação. Caso não tenha obtido o controle da pressão arterial, pode administrar entre 5mg a 10mg em intervalos de 20 minutos até uma dose cumulativa máxima de 40 mg.

Hidralazina injetável

Uma das duas maneiras de usar hidralazina é pelo método injetável. Suas doses variam de acordo com a idade, tipo físico da pessoa e motivo do uso. Para pessoas com pré-eclâmpsia ou eclampsia, é indicado 5 mg via intravenosa, repetindo a aplicação a cada 15 ou 20 minutos, até atingir 20 mg. Já para adultos com hipertensão grave, de 5 a 40 g. Para crianças com hipertensão, 1,7 a 3,5 g por quilo de peso corporal aplicado entre 4 e 6 doses.

O medicamento pode ser aplicado de dois jeitos, sempre até 20 g: via intravenosa e intramuscular. Na intravenosa, deve ser aplicado lentamente, com 10 gramas por minuto. Já via intramuscular, nos adultos deve ser aplicado nas nádegas (quadrante superior externo) enquanto nas crianças na face lateral das coxas.

Hidralazina comprimido

O uso de hidralazina via oral deve ser sempre com algum alimento e sempre à mesma hora do dia. No caso de hipertensão para adultos, a dosagem é de 40 mg por dia, dividido entre 2 e 4 vezes durante 2-4 dias. Após isso, deve aumentar para 100 mg por dia, distribuído da mesma maneira. Já a partir da segunda semana de tratamento, a dose diária sobe para 200 mg. O limite máximo é de 300 mg por dia.

Para crianças, o início do tratamento deve ser apenas com 0,75 mg por kg de peso corporal por dia. Após três semanas de tratamento, a dose pode subir para 7,5 mg por kg por dia. A dosagem máxima para crianças é de 200 mg por dia.

Contraindicações

Hidrolazina é absolutamente contraindicado para mulheres com gravidez de risco tipo C, além de pessoas que possuem a doença da válvula mitral e as que sofrem de hipersensibilidade a hidralizina.

Todo cuidado é pouco para essas situações, já que podem prejudicar tanto o desenvolvimento do feto como a mãe, além de poder ser fatal para quem sofre das doenças citadas.

Hidralazina efeitos colaterais

Como resultado da dilatação das veias do corpo, muito pacientes se queixam de um incômodo aumento dos batimentos cardíacos. Além disso, a palpitação (que é a sensação de quando você sente os batimentos cardíacos) fica perceptível. Outro sintoma é o excesso de dor de cabeça. Em alguns casos, há também náuseas, vômito, diarreia, falta de apetite e constipação.

Apesar de tudo, não há uma incidência conhecida. Se os efeitos persistirem, procure seu médico.

Interação com outros medicamentos

Ao se medicar com hidralazina, fique atento aos seguintes medicamentos: dinitrato de isossorbida, que pode aumentar o risco de hipertensão, e diazóxido, que pode intensificar a ação da hidralazina.

Precauções

Antes de começar o tratamento, o paciente deve sempre informar ao médico se é portador de doença cardíaca ou circulatória, além de avisar se possui algum problema no fígado ou renal.

Devido à mudança de pressão no início do tratamento, é indicado também evitar dirigir ou operar máquinas.

Hidralazina nomes comerciais

Apesar do nome “hidralazina” não ser muito popular, seus nomes comerciais são bem conhecidos. Apresolina ou Nepresol são encontrados em qualquer farmácia.

Hidralazina Preço

Hidralazina, mesmo vendida sob os nomes de Apresolina ou Neprasol, é um medicamente altamente acessível, com um preço baixo. Uma caixa com 20 drágeas de 25 mg pode ser encontrada custando entre R$ 5 e R$ 9.

Já para a versão injetável, deve fazer uma consulta com médicos e farmacêuticos para conseguir, visto que são vendidos em maior quantidade e são mais difíceis de encontrar.

Em ambos os casos, é necessário possuir a receita branca comum para comprar os remédios.

Hidralazina cuidados de enfermagem

Ao estar se medicando com hidralazina, é importante sempre conferindo os sinais vitais, já que é um medicamento que atua diretamente na pressão sanguínea. Apesar dos sintomas geralmente apresentar que há algo errado, nem sempre o problema é sintomático. Entre os principais sintomas estão as dores de cabeça, alterações na visão, pernas inchadas e taquicardia.