Meclin dá sono? Para que serve? É indicado na gravidez?

Você sabia que existem vários distúrbios do nosso sistema de orientação? Quando você sente tontura, dificuldade para se movimentar e rápidas sensações de fraqueza ao longo do dia, você pode estar sofrendo de um transtorno de cinesia. Isso ocorre quando há estimulação excessiva do aparelho vestibular através do movimento.

Além de distúrbios neurológicos, que afetam o labirinto, diversos fatores externos podem causar esses transtorno. Por exemplo efeitos visuais, como quando o horizonte está se movimentando muito rápido. Ou fatores emocionais, como uma sensação de medo ou ansiedade muito forte. Também há a ventilação inadequada, quando inalamos muita fumaça, por exemplo.

Tudo isso pode causar tontura, que é uma espécie de pré-desmaio, quando a pessoa fica fraca zonza; ou vertigem, que é uma sensação de movimento exagerada, quando tudo ao redor parece girar ou balançar. Essas duas sensações podem ser sintomas de doenças como  pressão baixa, problemas cardíacos, anemia, distúrbios do ouvido ou até do cérebro.

Este artigo fala de um medicamento que serve para tratar esses distúrbios de cinesia. Mas o Meclin também ajuda a aliviar outro sintoma muito comum nas grávidas: o enjoo. Essa sensação de mal estar, que acomete as gestantes principalmente nos primeiros meses de gravidez, acontece com cerca de 3 milhões de brasileiras ao ano, segundo o IBGE.


O enjoo é causado pela série de mudanças físicas que está ocorrendo no corpo da mulher e o cansaço, junto com fatores como a elevação nos níveis de estrogênio, a presença do hormônio hCG e uma maior acidez do estômago. As náuseas e vômitos podem fazer com que a grávida se alimente muito mal, o que prejudica a formação do feto também.

Por isso, muitas mulheres procuram remédios como o Meclin para ajudar nesse período difícil. Abaixo, você lerá os riscos e benefícios desse medicamento.

Para que serve o Meclin

O Meclin é indicado na prevenção e tratamento dos distúrbios motores e da cinesia, como tontura, vertigem, labirintite e Doença de Menière, e os males de essas desorientações causam, como náuseas e vômitos.

O medicamento também alivia os enjoos causados por tratamentos contra o câncer, como radioterapias, e pela gravidez.

Como funciona o Meclin

O Meclin é um antiemético, tipo de medicamento que alivia os sintomas relacionados com enjoo, náuseas e vômitos. Ele também tem ação antivertiginosa, que trata a vertigem, e anticinetótica, que serve para melhorar o trânsito intestinal e estomacal e melhorar a velocidade de esvaziamento e a função excretória.

A meclizina, principal componente desse remédio, é um anti-histamínico que atua bloqueando os receptores H1 da histamina e os receptores muscarínicos no cérebro. A meclizina também reduz a excitabilidade dos neurônios no núcleo vestibular e afeta as vias neuronais do labirinto. Essa substância ainda tem propriedades depressoras do sistema nervoso central e anestésica local. Ela é absorvida rapidamente pelo fígado. A ação dura por uma hora. Depois, a substância é eliminada pelas fezes e pela urina. É a ação mais duradoura entre os anti-histamínicos usados em transtornos motores.

Composição do Meclin

Bula do Meclin

De acordo com a bula, elaborada pelo laboratório Apsen, esta é a composição do Meclin:

Cada comprimido de 25g de Meclin contém:

  • Cloridrato de meclizina: 25 mg
  • Excipientes qsp.: 1 comprimido (croscarmelose sódica, estearato de magnésio, lactose, polivinilpirrolidona, dióxido de silício coloidal, corante FD&C amarelo, amido).

Cada comprimido de 50g de Meclin contém:

  • Cloridrato de meclizina: 50 mg
  • Excipientes qsp.: 1 comprimido (croscarmelose sódica, estearato de magnésio, lactose, polivinilpirrolidona, dióxido de silício coloidal, corante FD&C amarelo, amido).

Como tomar o Meclin

Esse medicamento deve ser ingerido via oral, bebendo água, preferencialmente. Ele deve ser usado por pessoas adultas ou crianças acima de 12 anos.

Para tonturas, sensações de fraqueza e náuseas causadas por viagens ou situações similares, a dose recomendada é de 25g, ou seja, um comprimido por dia. Para vertigem, labirintite e distúrbios motores, recomenda-se entre 50 e 100g, ou entre 2 e 4 comprimidos por dia, com pelo menos 6 horas de intervalo entre cada uma.

Para mal estar e vômitos induzidos por radioterapia, a dose sugerida é de 50g, ou um comprimido de 2 a 12 horas antes da sessão. Já para enjoos da gravidez, deve-se usar entre 50 e 100g, ou entre 2 e 4 comprimidos por dia, com pelo menos 6 horas de intervalo entre cada uma.

Essa posologia é apenas para referência, já que ela pode variar muito de acordo com a doença e a intensidade dos sintomas do paciente. Consulte um médico para saber a dosagem mais adequada para o seu caso, bem como a duração correta do tratamento.

Contraindicação do Meclin

Esse medicamento não deve ser utilizado por quem tem alergia ou sensibilidade a qualquer componente da fórmula (vide o item Composição). Caso o paciente tenha alguma das doenças abaixo, é preciso informar o médico para que ele avalie a relação risco/benefício:

  • doença pulmonar crônica obstrutiva – a redução na secreção brônquica pode causar inspissação e formação de tampão bronquial
  • predisposição a glaucoma de ângulo fechado – o aumento da pressão intraocular pode precipitar um ataque agudo de glaucoma de ângulo fechado
  • obstrução do colo da bexiga ou hiperplasia prostática sintomática – os efeitos anticolinérgicos da meclizina podem causar retenção urinária
  • obstrução gastroduodenal – pode ocorrer diminuição da motilidade e do tônus, agravando a retenção gástrica e a obstrução

Crianças menores de 12 anos também não devem usar Meclin.

Efeitos colaterais do Meclin

A reação adversa mais comum quando do uso de Meclin, que podem ocorrer entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento, é a sonolência. Muitas pessoas reclamam que ficam “grogues” quando usam esse remédio e não conseguem fazer mais nada ao longo do dia. No entanto, esse efeito varia muito para cada organismo.

Há efeitos colaterais mais raros, que podem ocorrer entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento, como secura de boca, de nariz e de garganta e visão borrosa. Em doses muito elevadas, algumas pessoas também podem experienciar acidez estomacal, indigestão, náuseas e neuropatias periféricas.

Superdosagem do Meclin

Como dito acima, o uso indiscriminado do Meclin, seja em dose única ou em tratamento longo demais, pode causar aumento da acidez estomacal, indigestão, náuseas e neuropatias periféricas. Caso sinta algum desses efeitos, procure imediatamente um hospital com a caixa do medicamento em mãos.

Deverão ser feitas pela equipe médica as medidas habituais de controle das funções vitais, como manter o nível de consciência, as frequências cardíaca e respiratória e medir e controlar a pressão arterial. Se necessária, pode ser feita uma lavagem estomacal.

Precauções do Meclin

Esse produto é indicado para aliviar o enjoo na gravidez, por isso não há contraindicações quanto ao uso por gestantes. Estudos epidemiológicos mostraram que o cloridrato de meclizina não causa aumento no risco de anormalidades fetais. A substância pode ser distribuída no leite materno, mas isso não causa problema nos bebês, por isso o Meclin também pode ser usado por lactantes. No entanto, a ação anticolinérgica desse medicamento pode inibir a lactação.

Pacientes com insuficiência hepática devem usar esse remédio com cautela, já que se trata de uma droga que é metabolizada no fígado. Idosos podem usar o Meclin, mas pessoas com idade avançada costumam apresentar aumento da sensibilidade aos anticolinérgicos. Os efeitos colaterais, como constipação, secura de boca, e retenção urinária também são mais comuns nos idosos.

O Meclin não causa interferência em exames laboratoriais. Por gerar sonolência, não se recomenda que o paciente dirija ou opere máquinas durante o tratamento com esse remédio.

Caso se esqueça de tomar uma dose desse medicamento, tome assim que lembrar e depois continue no esquema original de horas. Se você se lembrar apenas quando estiver muito próximo do horário da próxima dose, pule a esquecida e continue o tratamento normal. Nunca use dosagens em dobro.

Interação do Meclin com outros remédios

Os medicamentos abaixo podem interagir com o Meclin:

  • depressores do sistema nervoso central – o uso concomitante com o cloridrato de meclizina pode potencializar os efeitos
  • anticolinérgicos – o uso concomitante pode potencializar os efeitos
  • apomorfina – o uso concomitante pode diminuir a resposta emética da apomorfina
  • sedativos – podem potencializar os efeitos do Meclin
  • drogas inibidoras do CYP2D6 – o cloridrato de meclizina é metabolizada pelo CYP2D6, portanto o Meclin pode perder o efeito

Não use bebidas alcoólicas durante o tratamento com esse remédio.

Armazenamento

Como a maioria dos medicamentos, o Meclin deve ser mantido em temperatura ambiente, ou seja, entre 15° e 30°C. Sempre mantenha o remédio na embalagem original, onde estarão impressos a data de fabricação e de validade. Os comprimidos são circulares, de cor amarelada, inodoros e insípidos. Respeite sempre os prazos e não faça uso do medicamento caso observe alguma mudança nesse aspecto. Cuide para que o medicamento fique fora do alcance das crianças.

Meclin preço

Meclin 50 mg

O Meclin não é um medicamento controlado e, portanto, pode ser vendido livremente por um farmacêutico ou pela internet, nesses preços:

Meclin de 50mg, caixa com 15 comprimidos – média de R$ 30,00

Meclin de 25mg, caixa com 15 comprimidos – média de R$ 16,00

Meclin genérico

Não existe um genérico específico para o Meclin, que é o único produto no mercado que tem como principal componente o cloridrato de meclizina. No entanto, existem medicamentos similares que também servem para tratar enjoos, náuseas e vômitos decorrentes de distúrbios motores ou da gravidez. Todos têm preços similares. São eles:

  • Dramin
  • Domperidona
  • Motilium
  • Peridal
  • Betadine
  • Cinarizina
  • Labirin
  • Vertix
  • Betaserc

Pergunta dos leitores

Meclin é indicado na gravidez?

Sim. Uma das principais indicações do Meclin é para tratar e aliviar as náuseas, enjoos e vômitos que uma gestante experiencia nos primeiros meses de gravidez. Estudos comprovam que o uso desse medicamento não causa riscos para a paciente ou para o desenvolvimento do feto.

Meclin dá sono?

Sim. A reação adversa mais comum com o uso desse remédio é a sonolência. Muitas pessoas reclamam que ficam “grogues” quando usam esse remédio e não conseguem fazer mais nada ao longo do dia. No entanto, esse efeito varia muito para cada organismo.

Meclin serve para labirintite?

Sim. Uma das principais indicações do Meclin é para tratar distúrbios motores e da cinesia, como tontura, vertigem, labirintite e Doença de Menière, já que esse medicamento tem ação antivertiginosa. Ele também serve para aliviar náuseas, enjoos e vômitos decorrentes dessas doenças, já que tem ação anticinetótica, que serve para melhorar o trânsito intestinal e estomacal.

Meclin ou Dramin, qual usar?

A escolha do medicamento vai depender da doença a ser tratada, e essa avaliação deverá ser feita por um médico. Tanto o Meclin quanto o Dramin servem para aliviar náuseas, enjoos e vômitos, mas o Meclin é o único que tem cloridrato de meclizina na composição, substância que também serve para tratar vertigens e tonturas.

Quanto à sonolência, ambos os medicamentos tem esse como o principal efeito colateral. Cada pessoa e organismo vai reagir de uma forma diferente a esses remédios, portanto só testando é que o paciente vai saber qual causa menos sono.