Migraliv – Bula, Para que serve, Efeitos Colaterais, Preço

A cefaleia vascular é uma denominação para as dores de cabeça conhecidas como enxaquecas. É para o alívio desse problemas que Migraliv é recomendado. Nessas dores de cabeça acontece uma vasodilatação que causa uma dor pulsante e latejante.

Para que serve o Migraliv

Migraliv é um medicamento que serve para o tratamento de casos de cefaleias (dor de cabeça) de origem vascular. Também serve para as crises agudas de enxaqueca.

Como funciona Migraliv

Esse medicamento possui na sua composição a substância di-hidroergotamina. Essa substância atua diretamente no sistema nervoso central (SNC), agindo como antagonista a-adrenérgico e anti-serotoninérgico. Age especificamente no alívio da dor de cabeça que é gerada pela enxaqueca.

Além disso, esse medicamento ainda traz na sua formulação a dipirona sódica e a cafeína. A dipirona é um poderoso analgésico e a cafeína atua aumentando a eficiência de analgésicos.


Como usar MigralivCaixa de Migraliv

A posologia de Migraliv pode variar de acordo com a resposta individual de cada pacientes ou com os critérios médicos. Migraliv é um medicamento de uso adulto por via oral. Sua eficácia e segurança podem ser comprometidas com a administração por vias não recomendadas.

No entanto, para um tratamento de ataque a dose recomendada é de 2 comprimidos assim que aparecer o primeiro sinal de dor.

Já para o tratamento de manutenção caso os sintomas persistam, a dose indicada é de 1 comprimido a cada 30 minutos.

Vale lembrar ainda que a dosagem nunca deve ultrapassar 6 comprimidos por dia.

Contraindicação

Esse é um medicamento contraindicado para pacientes que apresentem hipersensibilidade a quaisquer um dos componentes de sua fórmula.

Migraliv também é contraindicado para aqueles pacientes que possuam doença arterial coronariana, doença vascular periférica, hipersensibilidade aos alcalóides de ergot. Também não é recomendado para aqueles que sofram de hipertensão arterial (pressão alta), septicemia e insuficiência renal ou hepática.

Migraliv ainda não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou em fase de amamentação.

Migraliv é contraindicado ainda em pacientes com asma, função dos rins ou hepática comprometidas, diabetes mellitus e infecção respiratória crônica. Também é contraindicado para pacientes com determinadas doenças metabólicas, tal como a porfiria do fígado (hepática) ou mesmo a deficiência congênita da glicose-6-fosfato desidrogenase.

Precauções

Migraliv é um medicamento que deve ser utilizado exclusivamente para o tratamento da dor. O tratamento com ele deve ser interrompido caso seja observado alterações na contagem celular no sangue ou se surgirem sinais de agranulocitose.

Por isso é indicado que, durante o uso prolongado, seja feito um acompanhamento e controle hematológico (no sangue). O controle é feito a fim de verificar esses níveis.

Nicotina e bebidas alcoólicas

A nicotina presente nos cigarros gera a contração dos vasos sanguíneos o que pode levar à isquemia vascular periférica.

A ingestão de bebidas alcoólicas (contendo álcool) deve ser evitada durante o tratamento com esse fármaco, visto que pode haver a potencialização dos efeitos sistêmicos causados pelo álcool.

Os pacientes que possuem úlceras gastroduodenais e/ou gastrite só devem fazer uso de Migraliv depois de passar por uma avaliação médica criteriosa.

Precauções com o armazenamento e consumo

Esse medicamento oferece uma fórmula que associa o mesilato de diidroergotamina (que tua como supressivo da cefaleia sempre que for de origem vascular), a dipirona (que possui ação analgésica, antiartrítica e antipirética) e a cafeína (que age potencializando a ação da primeira substância).

Esse medicamento deve ser sempre mantido em temperatura ambiente, entre 15º e 30º, m local fresco e ao abrigo de umidade e luz. Também deve ser mantido em sua embalagem original.

O número do lote, prazo de validade e data de fabricação podem ser encontrados na embalagem do produto.

Migraliv, bem como qualquer outro medicamento, não deve nunca ser utilizado caso esteja com o prazo de validade vencido, sob o risco de ter sua segurança e eficácia comprometidas. Então, antes de usar verifique esse fator.

Sempre informe ao seu médico sobre a ocorrência de uma gravidez no decorrer do tratamento, bem como após o término do mesmo. Informe também caso esteja amamentando.

Sempre siga as orientações do médico a respeito dos horários, doses e duração do tratamento a fim de obter o melhor resultado e evitar riscos.

O médico ainda deve ser informado no caso do aparecimento de reações indesejáveis, tais como náuseas, dores musculares, vômitos, fraqueza nas pernas, formigamento ou entorpecimento dos dedos, bem como reações de hipersensibilidade, como erupções cutâneas.

O médico deve ser comunicado também caso o paciente esteja fazendo uso de qualquer tipo de medicamento antes do início ou no decorrer do tratamento, visto que podem ter seus efeitos potencializados.

Já foram relatados casos de sedação (sensação de sonolência) decorrentes do uso do medicamento, por isso, não é recomendado que os pacientes em tratamento com Migrali dirijam veículos motorizados, operem qualquer tipo de máquina ou executem atividades que requerem atenção, visto que essa habilidade pode ficar comprometida.

Todo e qualquer medicamento deve sempre ser mantido fora do alcance de crianças

Você não deve tomar esse medicamento sem conhecimento médico visto que pode ser perigoso para sua saúde e trazer riscos.

Efeitos colaterais do Migraliv

Normalmente esse medicamento é bastante bem tolerado. No entanto, ocasionalmente, podem ocorrer reações adversas, tais como:

  • Náuseas
  • Reações de hipersensibilidade (reações alérgicas) inclusive com erupções cutâneas
  • Vômitos
  • Fraqueza nas pernas
  • Dor muscular
  • Formigamento ou entorpecimento dos dedos

Caso ocorram qualquer um desses sintomas listados o tratamento deve ser suspendo e o médico deverá ser consultado o mais breve possível.

Superdosagem

Nos casos de pacientes que utilizaram altas doses de migraliv (dose maior do que o indicado), foram observados vários sintomas. Tais como, náuseas, cefaleia (dor de cabeça), vômitos, ergotismo, aumento da pressão arterial e choque. Eventualmente ainda pode acontecer casos de insônia, agitação, nervosismo, irritabilidade e diurese profusa.

Para esses casos é preciso que o produto seja removido através de uma lavagem gástrica. Depois devem ser administrados tratamentos sintomáticos.

Dependendo do caso ainda podem ser administrados drogas anticoagulante e também vasodilatadores.

Interação do Migraliv com outros medicamentos

A utilização de vasoconstritores, tal como alcaloides de esporão de centeio, incluindo aqueles encontrados em anestesias de aplicação local podem gerar um aumento da vasoconstrição periférica.

Quando utilizado concomitantemente com a troleandomicina e a eritromicina, pode ocorrer uma elevação na concentração de ergotamina no plasma.

Além disso, é importante evitar o uso concomitante dessa substância com outros fármacos que contenham propranolol e anticoagulantes orais.

Se utilizado juntamente com complementos de cálcio pode haver a inibição da absorção do mesmo.

Pode haver uma diminuição do metabolismo hepático da cafeína quando utilizado juntamente com a cimetidina.

Sempre comunique ao médico caso esteja fazendo uso do medicamento.

Migraliv preço

Para comprar esse produto é necessária a apresentação de receita branca comum. Seu preço pode variar de acordo com a região na qual você se encontra e o local escolhido para a compra. O preço dependerá também se você vai comprar o produto referência ou o seu genérico, visto que a segunda opção costuma ser mais barata.

No entanto, na internet, a embalagem com 12 comprimidos de 100 mg de migraliv pode ser encontrar por, em média, R$ 14,50.

Migraliv genérico

Para encontrar o genérico de Migraliv basta ir até a farmácia mais próxima e conversar com o farmacêutico. Solicite o medicamento pelos seus princípios ativos que são Mesilato De Diidroergotamina + Dipirona Sódica + Cafeína. Sempre confira se as concentrações correspondem ao medicamento original que é 1 mg + 100 mg + 350 mg, respectivamente.

Pronto, agora você já sabe mais sobre Migraliv, para que serve, como age, quais suas indicações e como deve ser tomado.